Ilustração: Nerino de Campos
Texto: Nerino de Campos
Subsecretário: Nerino de Campos

sábado, 31 de julho de 2010


quarta-feira, 28 de julho de 2010


É... O mundo vai girando e a gente passando junto. É uma imensidão desconcertante, assustadora, e se a gente estiver sem dinheiro para pagar as contas, esse mundo, essa imensidão perde por completo a importância. Portando, o ser humano, aqui nesse mundinho insignificante, sem dinheiro para pagar as contas, não se assusta com a imensidão do universo. A máquina está enferrujada, não funciona, e os bichos da ferrugem atacam, atacam e você lá, deitado com as mãos apoiando a cabeça, olhando para a imensidão do universo sem perceber que existe a imensidão do universo.

sábado, 24 de julho de 2010

quinta-feira, 22 de julho de 2010

sábado, 17 de julho de 2010

quinta-feira, 15 de julho de 2010


O Braço
Foi uma brusca freada, e eu, da varanda, de rosto franzido e olhos fechados, esperei por intermináveis segundos até que o carro parasse, e justamente neste espaço de tempo, ouvi um barulho seco, compacto, vindo do telhado, como se um saco de farinha tivesse sido jogado ali.
Olhei para cima e do lugar onde me encontrava vi apenas alguns dedos transpondo a quina da calha. Peguei rapidamente a escada e subi, na tentativa de salvar aquela criatura, porém, em cima do telhado só havia um braço acompanhando aqueles dedos inertes.
Desesperado, olhei para a rua e gritei, chamando as pessoas que pareciam procurar algo ao redor de um corpo já coberto com folhas de jornal.

domingo, 11 de julho de 2010

quarta-feira, 7 de julho de 2010

sábado, 3 de julho de 2010


Desconforto
Na parede, amarelado sob uma moldura rota, o meu retrato, quando jovem, inspira mais respeito do que esse caco na cadeira de balanço, a forçar a perna num movimento ritmado, como se amenizando a eterna estagnação existente na casa. Até a mosca, que entrou fazendo três ou quatro visitas de inspeção em pontos distintos da sala, preferiu o caco ao retrato emoldurado, causando-me um profundo desconforto.