Ilustração: Nerino de Campos
Texto: Nerino de Campos
Subsecretário: Nerino de Campos

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Sequestrei a mim mesmo e passamos o fim de semana na casinha de praia do meu tio pobre. Alguns caranguejos entraram pelas frestas das tábuas da varanda, me colocando na situação ridícula de subir em uma cadeira e esperar, pacientemente, que eles atravessassem a sala, a procura de alimento. Mais tarde o vento ocupou toda a casinha, e umas latas que ajudavam na proteção do telhado despencaram, fazendo com que todos os outros animais residentes ali participassem dos movimentos da casa. Cumpri pacientemente minha determinação de estar naquela casa, e descobri que, ao contrário do que pensava, não são os monstros da cidade, e sim, os minúsculos animais de pequenos lugarejos que me apavoram.

Nenhum comentário:

Postar um comentário