Ilustração: Nerino de Campos
Texto: Nerino de Campos
Subsecretário: Nerino de Campos

sábado, 13 de outubro de 2012

Cabeça pensante

Eu me sento, pego uma folha de papel em branco e tento escrever. Não tenho nada na cabeça. Após alguns instantes me vem a palavra “Bolha”. Não é tão difícil escrever sobre uma bolha: Eu lá dentro? Uma bolha se estourando? Uma bolha crescendo sobre o meu calcanhar? As perguntas são muitas e as respostas, quanto mais simples, melhores. Não é difícil escrever sobre nada. Um pé retorcido dá margem a um acidente espetacular. Por trás de uma mosca remexendo as patinhas dianteiras esconde um lindo prato de comida ou uma carcaça de boi apodrecida. Um nariz empinado pode demonstrar orgulho, ou certo defeito físico. Uma cobra rastejando pode estar fugindo de um predador ou deslizando sorrateiramente, prestes a dar o bote em uma indefesa criancinha. Eu não tenho desculpas! A cabeça está sempre cheia de coisas para serem escritas. Se fosse fácil não ter nada na cabeça nós sempre atingiríamos a excelência em meditação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário