Ilustração: Nerino de Campos
Texto: Nerino de Campos
Subsecretário: Nerino de Campos

sábado, 3 de março de 2012


Recriminação

O meu avô trouxe uma cadeira e após colocá-la à minha frente, olhou-me de tal forma que eu me senti como se levitando, até sentar-me, apesar da minha vontade ser a de estar longe daquela varanda. Ele entrou e pouco depois voltou com uma xícara de café, colocando-a na mesinha ao lado da sua cadeira. Sem dizer uma palavra, entrou novamente, e eu, com uma enorme necessidade de abstrair-me, passei a observar uma mosca que pousara na xícara. Ela caminhava vagarosamente para um lado e para o outro, até quando eu abafei com a mão a borda da xícara, afogando-a no café.
Logo depois o meu avô chegou com a bola e alguns cacos de vidro da janela da sala, e após sorver o café, passou às acusações, sem imaginar o que eu colocara dentro do seu corpo para me ajudar a suportar tudo aquilo.

6 comentários:

  1. Delicioso! Não o café, suponho. Falava do texto.

    L.B.

    ResponderExcluir
  2. Curto mas de enorme significado esse texto.
    É duro ser criança.
    Mas mais duro será educá-las ;)
    bj

    ResponderExcluir
  3. Abstrair-se!
    Necessidade notória
    do ser humano.


    De agrado!
    Fico a seguir-te.
    Paz!

    ResponderExcluir
  4. Obrigado por visitar meu blog, - foi uma honra! Já estou seguindo o seu, aliás, gostei muito. Parabéns!
    Um forte abraço e sucesso.

    ResponderExcluir
  5. Un café con ahogamiento de mosca, original relato, un placer haber llegado a esta casa
    Abrazo
    Stella

    ResponderExcluir
  6. Obrigado por ter sua presença no meu blog. Seja sempre bem-vindo. Parabéns pelos seus textos. Aquele Abraço! Crisjoli

    ResponderExcluir