Ilustração: Nerino de Campos
Texto: Nerino de Campos
Subsecretário: Nerino de Campos

domingo, 26 de fevereiro de 2012


A ONDA GIGANTESCA

Quando Thais acordou, sentiu uma fisgada no joelho, porém, notou que os seus braços estavam engessados, impossibilitando-a de chegar até a perna para se coçar. Olhou para o quarto do hospital, e de barulho, apenas o gotejar de uma torneira vindo de uma porta entreaberta. Havia muitos aparelhos à sua volta, muitos fios e tubos ligados ao seu corpo, todos funcionando em silêncio, tentando mantê-la viva.
Ela não conseguia se lembrar do que acontecera. Não se lembrava e torcia para que ninguém chegasse ali para lembrá-la. No entanto, uma forte dor no pé esquerdo passou a incomodá-la, até fazer com que as lembranças despencassem-lhe sobre a cabeça como uma onda gigantesca, remontando a horrível cena dos bombeiros serrando-lhe as pernas para livrá-la das ferragens do metrô.

3 comentários:

  1. Que triste teu texto.

    A imagem me lembrou a frida Khalo.

    Bom..Tais ta viva!!

    semana de paz a vc!!

    ResponderExcluir
  2. Bom dia1
    Muitas vezes esperamos ler somente coisas boas,mas sabemos que não é assim.Na vida é preciso encarar um pouco de tudo.
    Triste ,mas real.
    Grande abraço
    se cuida

    ResponderExcluir