Ilustração: Nerino de Campos
Texto: Nerino de Campos
Subsecretário: Nerino de Campos

quarta-feira, 4 de maio de 2011


(Re.)
Um homem, fascinado pela destreza de sua mulher ao lidar com as consequências, resolveu se aprimorar no trato das causas. Causava aborrecimentos, consequentemente, ela o aborrecia por isto. Um dia, ao sair do quarto escuro, pegou o chapéu e correu até a porta. Tentava falar, sem conseguir. Sentia, há muito tempo, que começara, aos pouco, a ficar mudo. Queria se libertar daquilo tudo, e já na rua abraçou o primeiro transeunte, que no caso era eu. Eu quase chorei de emoção com aquele gesto nobre, e abracei-o também, apertando-o contra o peito. Ele ainda brincou, apertando o meu nariz entre os dedos. Eu espirrei três vezes e comecei a coçar. Foi tudo muito rápido. Cocei, cocei e de repente a pele começou a sair na minha mão, e logo em seguida a carne também. Eu tocava, aflito, os meus próprios ossos, e o couro cabeludo se desfez entre horror e lágrimas. Um dos olhos caiu como uma bola de gude e eu, olhando aquele olho no chão com o olho que me restara, tive vontade de pisar para ouvir fazer “PLOC”

4 comentários:

  1. Nerino...
    Que nojento! rs

    Acho que o nome da doença o onerismo.

    Parabéns pelo texto tão exótico.
    bjs
    Ma Ferreira

    ResponderExcluir
  2. Você escreve muito bem, já lhe disse isso. Mas estou rindo da reação da MA FERREIRA .

    Hoje vim fazer um pedido.
    Por indicação da Van (RETALHOS DO QUE SOU), agraciada com o selo do "blog da semana", estou concorrendo ao mesmo. Se votar no meu blog umcanto-recantodaalma.blogspot.com , ficarei muito feliz. A votação é no
    http://wwwwillblog.blogspot.com/,
    idealizador do selo, e começa às 12:00 horas de 14/05.

    Posso imaginar que para você isso não tenha importância, mas estou começando a navegar nesse espaço e um selo seria motivo de prazer.

    Obrigada

    ResponderExcluir
  3. Eu já disse "no marginal" e aqui repito:

    Já cheguei e vou ficando dentro. Te sigo, já. Adorei seu sítio. Cada texto que li, me senti melhor, viajando nas suas bem-ditas palavras. És único! Voltarei aqui, de certo.
    Hiper abraço,
    João Ludugero, poeta
    www.ludugero.blogspot.com
    Obs.: Se quiser, dê uma passada no meu blog. Se gostar e achar que pode me seguir, seja bem-vindo, a casa é sua!

    ResponderExcluir