Ilustração: Nerino de Campos
Texto: Nerino de Campos
Subsecretário: Nerino de Campos

segunda-feira, 16 de maio de 2011


FOGUETE EXTRATEMPORAL (Re.)

Se você estiver sentindo um infinito desejo de liberdade, apesar de estar livre dentro de uma grande cidade, insatisfeito pelo excesso de pormenores inúteis, ou mesmo preso no trânsito, não querendo estar lá, ou realmente preso em uma cela, condenado a muitos anos de cadeia, nunca se esqueça de que o pensamento, no mundo em que vivemos, é a nossa única forma de liberdade, e consciente disto, em poucos segundos você pode estar andando, e de repente, voar, e ao se deparar com um avião à frente, mergulhar em uma de suas turbinas, saindo do outro lado dividido em milhões de pedacinhos reluzentes, e ao unir-se novamente, pode transformar-se em um ser supremo, pretensioso, e nesse momento, por ordem de outro ser supremo, voltar à terra como uma minhoca, sentindo claustrofobia com toda a intensidade, e depois da experiência do medo intenso, rasgar a terra, partindo atrás de um grande amor, se entrelaçando em braços e pernas da mulher amada, sentindo um amor tão profundo, tão intenso e verdadeiro, a ponto de lançar-se para bem alto, transformando-se em um foguete extratemporal, que atravessa todas as galáxias existentes e todos os mundos imaginários, viajando por bilhões e bilhões de anos luz, até chegar em um lugar onde nada importa além da felicidade e do amor.

6 comentários:

  1. Um belo exercício para quem deseja parar de ranger os dentes.

    ResponderExcluir
  2. Como é forte sua escrita!!!!
    Somos muito mimados. Reclamamos da vida e pouco fazemos.
    Procuramos a felicidade e ela esta dentro de nós.
    Acho que deveriamos renascer como minhoca mesmo!!!
    rsrs
    Se bem..se eu pudesse escolher..eu nasceria uma gaivota!!
    bjkas
    Ma

    ResponderExcluir
  3. Não há machado que corte
    A raíz ao pensamento,
    Porque é livre como o vento,
    Porque é livre!!!

    Tinha razão o Poeta Manuel Alegre
    quando assim escreveu.
    Se bem que liberdade e pensamento
    aqui,iam noutra direção...
    Saudações,de Portugal.

    ResponderExcluir
  4. Nerino,

    Bem assim que me sinto quando a palavra e as tintas me incendeiam e posso transcender
    além do meu quintal!

    Carinhoso abraço!

    Marlene

    ResponderExcluir
  5. Tem vaga nesse foquete?
    Adorei seu blog e o seu humor, essa ironia que mexe com o leitor, fazendo-nos pensar na condição de seres livres, independente de quem somos ou como vivemos.
    Delícia de texto.

    ResponderExcluir
  6. Oi..vim te visitar..e desejar uma boa semana!
    Bjos amigo!
    Roberta

    ResponderExcluir