Ilustração: Nerino de Campos
Texto: Nerino de Campos
Subsecretário: Nerino de Campos

sexta-feira, 22 de outubro de 2010


Você já parou para pensar no quanto insignificante você é? Não estou dizendo no seu quarto, na sua casa, na sua rua, no seu bairro, na sua cidade, no seu estado, no seu país, no mundo.
Estou dizendo no universo. Você não é nada, não sabe de nada. Sabe aquela verdade absoluta que você sempre defendeu com intransigência, como fato consumado? Não é nada diante da imensidão do desconhecido, portanto, coloque o rabo entre as pernas, saia da soberba e tente entender, pelo menos, o que você está fazendo no mundo, no seu país, na sua cidade, no seu bairro, na sua rua, na sua casa, no seu quarto, na sua vida.

4 comentários:

  1. Concordo! e o que vemos é a alienação e a produção de um sujeito que não se reconhece.

    Ótimas postagens!

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  2. Nerino, já mandei até imprimir o meu certificado!!!
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Verdade seja dita, você disse tudo agora.

    bjs
    Insana

    ResponderExcluir
  4. verdade insuportável. já não faço quase nada pra sociedade. não faço nenhum trabalho voluntário, não dou aula para crianças, não trabalho na favela, e o pior de tudo, eu não quero trabalhar na favela ou dar aula para crianças. eu curso artes plásticas, mas isso de quê serve pra essas pessoas nesse momento? nada. eu não sei, talvez pro universo eu signifique até um pouco mais do que pra sociedade.

    ResponderExcluir