Ilustração: Nerino de Campos
Texto: Nerino de Campos
Subsecretário: Nerino de Campos

domingo, 27 de junho de 2010


A CIRURGIA
Desapressado, coloquei o jaleco, a touca verde-clara e sentei-me na poltrona para esperar a maca. Subitamente corri para o banheiro e todos me olharam apreensivos, preocupados com o meu estado emocional, porém, eu só queria me olhar no espelho, e rir. Aquele jaleco, aquela touca, a barba por fazer, me fizeram rir até me mijar todo, dando um grande trabalho às pessoas que me acompanhavam. Elas, solidárias, riam também, sem entender que eu, naquele momento, descia da soberba e me enxergava como realmente sou: um monte de carne podre.

Um comentário:

  1. Exercício que deveria tornar-se obrigatório durante os anos de formação acadêmica e profissional de todos os nossos meninos e meninas.

    ResponderExcluir