Ilustração: Nerino de Campos
Texto: Nerino de Campos
Subsecretário: Nerino de Campos

quarta-feira, 26 de maio de 2010


Poder
Segui o rebanho. Quando assustei estava preso a pequenos delitos e logo me incorporei a eles, como todos fazem. A partir daí, minha carreira deslanchou. Como se chutando folhas secas para abrir o caminho, fui eliminando obstáculos, até que ninguém mais, de sã consciência, ousou interferir no destino traçado por mim, porém, uma prostitutazinha de quinze anos, fruto de uma aventura inconsequente, apoiada por participantes de uma organização internacional, resolveu me enfrentar no parlamento, trazendo-me para esta cela especial da Polícia Federal.

4 comentários:

  1. Mas não é sempre assim? No rastro de todo grande homem tem sempre uma insignificânzinha que uma hora deixa de ser desapercebida.

    ResponderExcluir
  2. parece certo que o Poder corrompe... Nem entendo porque há tantos a quererem ser corrompidos.

    L.B.

    ResponderExcluir
  3. porque a corrupción sempre se acompaña de petos cheos...

    ResponderExcluir
  4. poder é como uma droga, talvez comece que una pessoa é honesto, mas depois ...

    ResponderExcluir